Aprenda a classificar e organizar seus gastos

Livre-se das dívidas e invista em seu futuro

Gastar dinheiro é bom, mas gastar dinheiro, quando se tem dinheiro, é melhor.

A Associação Brasileira de Defesa do Consumidor (Proteste), realizou uma pesquisa de aspectos do endividamento ao entrevistar cerca de 500 pessoas do Rio de Janeiro e São Paulo. De acordo com as informações coletadas, provou-se que 72% desta população está superendividada e 36% já possui mais de uma dívida atrasada.

Então, se você é um dos muitos brasileiros que querem se livrar do endividamento e aprender a organizar seus gastos, leia atentamente as dicas que com certeza, irão te ajudar a se livrar dos maus hábitos de consumo.

 

Faça uma análise introspectiva e identifique problemas

Em uma matéria publicada pelo portal IG, viu-se que os consumidores que possuem a menor faixa salarial, de um a dois salários mínimos, representam 45% dos superendividados. Curiosamente, todos neste grupo estão endividados graças ao uso excessivo dos cartões de crédito.

Por isso, é importante definir como prioridade ter gastos condizentes com seus ganhos e não se deixar levar pelo desejo de consumo.

Se você conhece seus instintos de compra e sabe que não vai se segurar ao ver uma promoção, pense um pouco, livre-se das ferramentas que fomentam a tentação, como os cartões de créditos, aplicativos de compras ou até mesmo dos cadastros em sites que te enviam cupons de desconto.  

 

Aprenda a fazer orçamentos

O segundo passo é definir um método para dividir os seus gatos. E não esqueça, você precisa garantir um fundo de emergência e começar a investir na aposentadoria.

Segundo o professor de educação financeira Thiago Nigro, deve-se dividir o salário em três tipos de gastos: essencial, emergencial e recreativo. 

O gasto essencial é aquele que abriga saúde, alimentação, vestuário, mobilidade e moradia e recomenda-se que o montante deste gasto não ultrapasse 50% da sua renda mensal.

Já o gasto emergencial é aquele que abrigará o seu fundo de emergência e o investimento para sua aposentadoria. Se for possível, reserve 40% do seu salário para os gastos emergenciais.

Por fim, existe o gasto recreativo. Aqui não tem segredo, reserve 10% do seu salário e gaste como quiser, afinal, você merece.

Crie uma conta poupança e invista em previdência complementar

Com 40% da sua renda mensal, você deve criar um fundo de emergência e investir na sua aposentadoria.

Crie uma conta poupança e, nos primeiros 6 meses, invista todo o percentual reservado para os gastos de emergência. Após realizar esse investimento, você possuirá um montante que poderá ser utilizado para conter imprevistos e impedir endividamentos.

Finalmente, com uma reserva de emergência estabelecida, invista na sua aposentadoria. Através da previdência complementar, é possível garantir maior conforto ao se aposentar. Por isso, é recomendado investir mensalmente, pelo menos 30% da sua renda em planos de aposentadoria.   

 

Juntas, essas dicas resumem tudo que é necessário para classificar e organizar seus gastos, e assim, incrementar ao máximo o seu rendimento. Se livre das dívidas e comece a investir no seu futuro!