Receita Federal alerta usuários sobre novo golpe no Pix

Veja aqui como funciona a farsa do IOF antecipado e outros golpes

Na intenção de conseguir crédito, um número alarmante de pessoas está caindo em golpes realizados por cibercriminosos.

Segundo dados divulgados pelo portal InfoMoney, golpes como a antecipação do IOF representam apenas as novidades dentre os vários outros tipos de abordagem que os cibercriminosos vêm utilizando no Brasil. 

De acordo com a empresa de segurança digital PSafe, nos primeiros 4 meses deste ano já foram registradas mais de 3,4 milhões de tentativas de golpes financeiros no Brasil. Isso corresponde a uma média de 22.5 mil detecções por dia, mais de 930 por hora e 15 por minuto.

 

Como funcionam os golpes?

Ao fornecer documentos falsos, os cibercriminosos induzem os cidadãos a pagarem taxas inexistentes para a liberação de empréstimos.

No caso do golpe de antecipação do IOF, os golpistas se passam por falsas empresas de crédito, afirmando que o empréstimo só pode ser realizado após o pagamento antecipado do Imposto sobre Operações Financeiras (IOF). Sem muitas escolhas, as vítimas se sujeitam a pagar a taxa.

 

Nota de esclarecimento

No dia 30 de junho, após receber diversos relatos sobre golpes relacionados a empréstimos com pagamentos via Pix, a Receita Federal divulgou um alerta para instruir a população: o cidadão jamais fornecerá dados para recolhimento de tributos ou taxas via transferência.  

No alerta, também é esclarecido que o IOF realmente existe, mas deve ser pago pela instituição que concede, não pelo indivíduo que solicita o empréstimo.

 

Por fim, a Receita Federal esclarece que os servidores do Fisco não são responsáveis por prestar serviços de empréstimo à população, por isso, não possuem autorização para entrar em contato e cobrar pagamentos.