Mães são peças fundamentais na educação financeira dos filhos

Desejamos a todas vocês um excelente dia das mães!

O desafio da educação é responsabilidade em todos os sentidos: moral, ética e financeiramente.

Neste trabalho de vida, as mães assumem um papel fundamental: elas dão os maiores exemplos de vida a seus filhos.

Admiradas, amadas e apreciadas por seus pequenas, as mães têm grande influência na capacidade de decisão de seus filhos por toda a vida e se educar não é tarefa fácil, educar financeiramente é ainda mais complicado. Contudo, com dinamismo e disposição, as crianças podem estabelecer noções financeiras positivas que levarão para a vida inteira.

Confira cinco maneiras de engajar a educação financeira em casa:

Aceite que a educação financeira é tão importante quanto as outras

Muitas mães evitam tratar de assuntos financeiros perto das crianças e preferem administrar o orçamento sem dar voz ou vez aos pequenos. Nos primeiros anos de vida, vale dar ao seu filho um cofrinho, ensiná-lo a usar e, depois, a gastar o que juntou. Crianças maiores, com cinco ou seis anos, já podem começar a receber mesada ou semanada.

Seja o maior exemplo de seus filhos

Mães que não acompanham sua situação financeira por meio de planilhas, que não planejam gastos, que fazem dívidas a torto e a direito e nunca conseguem poupar estão ensinando aos seus filhos tudo o que não deve ser feito com o dinheiro. Cerca de 80% da educação financeira que o filho vai ter será obtida por meio do exemplo, que vale muito mais do que as palavras, conforme assinalam especialistas em psicologia infantil.

Não ceda a todos os desejos de consumo dos filhos

Não faz bem compensar as frustrações dos filhos comprando coisas o tempo todo. É importante que a criança aprenda que não pode ter tudo o que quer, sempre que deseja. Mesmo quando as mães estão em boas condições financeiras, é necessário ponderar e impor limites.

Porém, pondere: cuidado com a recusa excessiva

Negar todos os pedidos da criança sem antes analisá-los também é um erro. Segundo os especialistas, é importante reconhecer as necessidades e os desejos do seu filho, valorizar o ponto de vista dele, mas também expor os seus, propondo uma análise crítica antes da decisão. A partir daí, se você optar por não levar o que a criança pede naquele momento, é bom fugir das explicações simplistas, que não condizem com a realidade.

Se você opta por mesada, não a complemente

É importante que as mães definam quanto acham justo e necessário para a criança gastar em um mês ou em uma semana e que entreguem apenas essa quantia pré-estabelecida. Quando a criança começa a receber semanada ou mesada, a primeira coisa que ela faz é gastar tudo nos primeiros dias. E se isso acontecer, os pais não devem dar mais dinheiro. É preciso ensinar aos pequenos a fazer escolhas melhores e a guardar dinheiro.

Por lerem este artigo, já sabemos sobre a sua dedicação e amor por seus filhos.

Desejamos a todas vocês um Feliz Dia das Mães e agradecemos pelos cidadãos de bem que estão educando.

Parabéns, mães!