Descontrole financeiro está relacionado a problemas emocionais

Veja como a sua saúde reflete na saúde do seu bolso

Ao sofrer experiências traumáticas, é possível que, em seu subconsciente, uma sensação de vazio seja gerada. Esse mesmo “vazio” é o que alimenta expectativas constantes e insaciáveis de se possuir algo.

Essa sensação é o que a psicologia categoriza como desejo. 

O desejo, por sua vez,  molda a ideia de que algo precisa ser consumido e/ou conquistado para preencher as lacunas e o vazio.

De acordo com o psicólogo Marcos Lacerda, por definição, o desejo é algo que não pode ser saciado. Por isso, as tentativas de “preencher o vazio” costumam ser falhas ou curtamente duradouras.

Como por exemplo, em uma reportagem realizada pelo portal Uol com a psicóloga Renata Maransaldi, foi afirmado que, além dos prejuízos financeiros, 99% das pessoas costumam ter prejuízo social, familiar ou profissional em função das compras excessivas.

 

Aqui, você verá maneiras eficientes de reconhecer os padrões do descontrole financeiro e aprenderá práticas saudáveis para combatê-lo.

 

Supere o descontrole financeiro

Reconhecer que há um problema é o passo inicial para se alcançar uma solução.

Pense consigo mesmo. Você está constantemente utilizando do cheque especial? Sempre pagando a parcela mínima do cartão de crédito? Ou frequentemente tendo que pagar empréstimos? 

Se a resposta for “Sim” para perguntas como essa, então a problemática com o descontrole financeiro deixa de ser uma dúvida e passa a ser uma certeza.

Neste cenário, é importante traçar um planejamento financeiro que seja capaz de combater as dívidas acumuladas.

Segundo o professor e psicólogo Francisco M. S. Filho, ao reconhecer que a problemática do descontrole existe, é necessário definir metas, com prazos e objetivos exequíveis.

 

Planejamento financeiro

O planejamento financeiro deve ser feito à moda antiga, na ponta do lápis, levando em consideração as condições objetivas que solucionarão cada uma das dívidas.

Coisas como diminuir gastos, pagar por completo as dívidas que já existem e se livrar dos cartões de crédito servem perfeitamente como aplicações do planejamento financeiro. Entretanto, não se deve esquecer do que te levou a se endividar, evitar tais práticas é fundamental para se livrar da dependência do dinheiro.

Por fim, é de extrema importância ressaltar que um mapeamento dos gastos seja feito.

O simples ato de materializar os gastos em alguma forma de documentação, como por exemplo em planilhas, facilita a percepção e identificação dos eventuais problemas que possam surgir, o que auxilia no controle e combate deles.