Aprenda a diferenciar gripes e resfriados

Perceba a sutileza nos sintomas e saiba como se prevenir

Com a temporada de inverno, a atividade dos vírus e bactérias  que causam doenças infecciosas aumenta. 

É importante lembrar que todas as faixas etárias estão sujeitas ao contágio. Entretanto, os que possuem menor imunidade, como crianças e idosos, podem sofrer com sintomas piores, já que neles os vírus e bactérias atuam de maneira mais agressiva.

Segundo informações fornecidas pelo médico pediatra e presidente da SBIm (Sociedade Brasileira de Imunizações) e pelo renomado Dr. Drauzio Varella, grande parte das doenças que se proliferam excessivamente nesse período, como resfriados, gripes, pneumonias e sinusites, são causadas por vírus e bactérias.

Este fator faz com que tais doenças possuam caráter infeccioso e afetem diretamente o sistema respiratório. 

Sabendo disso, torna- se crucial ter a capacidade de identificar os sintomas e entender qual o tipo de contágio em questão.

Para isso, seguem algumas explicações e dicas de como diferenciar gripes e resfriados.

 

Sintomas

Nos primeiros momentos do contágio, os sintomas são praticamente iguais, causando no infectado debilitações como: dores de garganta, coriza, congestionamento das vias respiratórias, vermelhidão nos olhos e, possivelmente, febre.

As semelhanças se esgotam rapidamente, uma vez que os resfriados são causados por diversos tipos de vírus que, em comum, atacam as mucosas respiratórias superiores, como a garganta, traqueia, brônquios maiores, mucosas do nariz e dos seios da face.

 

Já a gripe, de acordo com especialistas, é causada unicamente pelo vírus da influenza. 

A influenza possui características mais agressivas, que consequentemente potencializam os sintomas genéricos dos resfriados.

 

Tempo de contágio e complicações

Os resfriados duram, em média, dois dias. Período esse em que o infectado pode se sentir indisposto ou fatigado, mas ainda assim é capaz de exercer muitas das suas atividades cotidianas.

Na gripe, o processo de recuperação é mais extenso, com um período de recuperação indeterminado. Durante esse período, o infectado se encontrará exausto e se sentirá incapaz de exercer quaisquer atividades.

Além disso, a  gripe pode gerar agravantes no quadro de pessoas que se encontram nos grupos de risco, ocasionando no desenvolvimento de doenças como pneumonia ou, em casos mais graves, podendo levar o paciente à morte.

Por isso, estar em dia com suas vacinas é vital.