Como investir nas maiores empresas da bolsa americana?

É possível fazer parte de empresas famosas

Quando falamos em investimentos americanos, logo vem à mente a bolsa de valores de Nova Iorque, localizada na Wall Street, que já foi tema de muitos filmes e séries. Contudo, essa realidade não está tão longe quanto imaginamos. Descobrimos que é possível investir em grandes empresas americanas.

Primeiro é necessário entender o contexto que essas empresas estão inseridas. Com um mercado tão grande existem índices que medem e organizam essas empresas e um deles é o S&P 500 (Standard & Poor’s 500). Ele reúne 500 das principais empresas norte-americanas, todas elas com ações na bolsa de Nova York ou na NASDAQ, a bolsa de empresas de tecnologia.

Para fazer essa reunião, são inúmeros critérios que a empresa precisa ter. E mesmo que ela se encaixe em todos, ela não é inserida automaticamente no índice, existe um comitê exclusivo para decidir quais ações entram. A primeira avaliação é o peso que cada ação tem no mercado e na própria economia. 

Outras exigências são: valor de mercado acima de US$ 4 bilhões; alta frequência de negociação nas bolsas; é obrigatório que as empresas sejam norte-americanas; os resultados devem ser positivos pelo menos nos últimos quatro trimestres; a abertura de capital da companhia deve ter sido feita há pelo menos 6 meses; e muito mais.

O S&P 500 nada mais é que um termômetro da economia dos EUA e do mundo, afinal, se as maiores empresas fazem parte, significa que elas têm forte influência no mercado mundial, se elas vão bem, o mercado vai bem e o contrário também acontece. Isso reflete até no mercado brasileiro, o valor de mercado das ações do Ibovespa, o principal índice da bolsa brasileira, representa cerca de 1,8% do valor das que integram o S&P 500, cerca de US$ 20 trilhões.

Para se ter uma ideia da magnitude dos empreendimentos da S&P 500, confira o TOP 10 do índice: 

  1. Microsoft; 
  2. Apple;
  3. Amazon;
  4. Facebook;
  5. Berkshire Hathaway;
  6. Johnson & Johnson;
  7. JPMorgan Chase;
  8. Alphabet (nome da holding que controla o Google);
  9. Exxon Mobil;
  10. Visa.

Quantas dessas você conhece e fazem parte do seu dia a dia? Se for seguindo a lista até o número 500, é possível reconhecer quase todas as outras também.

Agora que você já sabe o que é o S&P 500 e sabe as empresas que o compõe, a pergunta principal deve ser: como investir nessas empresas?

O primeiro caminho é abrindo uma conta em uma corretora de valores nos EUA. Essa é a possibilidade mais burocrática, isso porque são necessários muitos documentos. Essa opção pode não ser muito rentável também, já que você terá que declarar imposto de renda aqui no Brasil e nos EUA. Fora que o custo de câmbio também é alto, que é o processo para transformar real em dólar e depois voltar ao real, isso pode custar boa parte dos seus lucros.

O segundo caminho é aplicando em fundos de investimento que têm ações estrangeiras na carteira, essa opção é mais acessível, já que esses fundos costumam ter gestores que realizam esse processo para você, em contrapartida, você não tem muito controle nos ativos escolhidos pela gestão dos fundos. 

Por fim, uma solução é comprar um ETF, que é um fundo que têm suas cotas negociadas na bolsa de valores, similares às ações. Na tradução, ETF significa Exchange Traded Fund, ou seja, fundo negociado na bolsa. Aqui no Brasil, você pode escolher essas ETFs que acompanham o S&P 500: o iShares S&P 500 (IVVB11), da Black Rock, e o It Now S&P 500 (SPXI11), do Itaú. 

Agora você já sabe que investir na Microsoft ou na Apple é possível, escolha o melhor caminho e tenha sucesso na suas aplicações.

Tags: finanças investimentos

Veja mais