Após identificar o descontrole financeiro, qual o próximo passo?

Não se desespere, existem soluções

Comprou demais, esqueceu de pagar uma conta importante, ficou desempregado, sofreu um golpe, são inúmeros os motivos que levam alguém ao descontrole financeiro. Nessas horas, o desespero bate à porta e fica difícil saber qual o próximo passo a ser dado. Contudo, existem soluções que somadas à força de vontade podem te tirar do vermelho. 

Se você ainda não identificou, fique atento a alguns sinais que indicam o descontrole: pagar contas em atraso; gastar todo o salário ou além; usar cheque especial; parcelar a fatura do cartão de crédito; pedir dinheiro emprestado, seja para pessoas próximas ou bancos; entre outros. Se você tem um ou mais desses problemas, suas contas saíram dos trilhos.

Identificado o problema, você precisa aceitar. Às vezes é comum pessoas não admitirem que têm um problema financeiro e continuarem gastando desenfreadamente. Além disso, quanto mais tempo você leva para fazer isso, maiores serão os estragos financeiros.

O próximo passo é identificar as causas, pode ser um descontrole por ansiedade ou compulsão, por pressão social ou até mesmo por conta de algum problema inesperado. Se você é uma pessoa ansiosa e desconta tudo isso nas compras, por exemplo, o ideal é um tratamento contra a ansiedade, seja um acompanhamento psicológico, uma medicação e, sobretudo, evitar gatilhos.

Agora vamos supor que você tenha um grupo de amigos com condições que não condizem com a sua renda e que as saídas sempre custam mais que R$ 100. Neste caso, temos duas soluções: conversar com esse grupo e explicar sua situação, propondo programas mais em conta; ou simplesmente mudar de grupo social.

Porém, muitas vezes o descontrole financeiro é resultado de alguma ação inesperada, que nem sempre depende de nós. Neste caso, a calma deve prevalecer, o desespero pode atrapalhar mais ainda a situação. Tente ficar tranquilo e partir para o próximo passo.

Depois que descobriu que tem um descontrole, admitiu o problema e identificou as causas, finalmente chegou a hora de resolver. A palavra principal agora é planejamento.

Cada gasto deve ser calculado e estar dentro do orçamento previsto. Para definir esse orçamento uma folha de papel e uma caneta podem ser o melhor amigo, se preferir, uma planilha no Excel ou um aplicativo de finanças. Por meio dessas ferramentas você deve registrar todos os gastos. 

É preciso entender que você agora tem outra realidade, e que até estabilizar a situação, cortes precisam ser feitos. Defina prioridades, onde é possível diminuir? No dia a dia você pode optar, por exemplo, pelo transporte público ou carona, levar marmita para o trabalho ou até mesmo trocar o cinema pelos filmes em casa.

Se suas contas estiverem atrasadas, utilize do poder da negociação. Entre em contato com as empresas ou bancos, explique a situação e defina a melhor forma para pagar. Lembre-se de ser estratégico durante essas conversas.

Por fim, não sofra sozinho. Divida as dores com a família e pensem juntos em melhores soluções, a ajuda do outro pode ser primordial neste momento. Vale lembrar que descontrole financeiro pode ser apenas uma fase, com planejamento e inteligência você consegue dar a volta por cima e reestabelecer sua vida financeira